Interiores monocromáticos: sim ou não?

A cor tem um papel muito importante nos ambientes, a ela é atribuída diversas sensações, e tornam-se protagonistas quando os profissionais optam por fazer projetos com interiores monocromáticos. Se, por um lado, uma casa inteira em cor vibrante poderia pecar pelo excesso, a escolha de concentrar em um cômodo pode trazer à residência um impacto diferenciado.

Dos tons mais sutis até os mais chamativos, interiores monocromáticos têm ganhado cada vez mais espaço nos projetos. Veja as galerias abaixo e inspire-se:

Tons neutros

interiores-monocromaticos-casa.com-5(Cortesia de BETILLON e DORVAL‐BORYArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-7(Nicole FranzenArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-6(Michail StepanovArchDaily)

Discretos, uma boa opção para projetos mais sóbrios, geralmente as cores usadas são preto, branco e cinza.

Tons terrosos

interiores-monocromaticos-casa.com-10(Dan BronfeldArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-9(Luis YoungArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-8(César Béjar StudioArchDaily)

Esses tons trazem a sensação de conforto e acolhimento, e são usados em projetos que buscam ativar a memória afetiva.

Tons vibrantes

Para fugir do básico, completamente, essas cores são usadas para causar impacto e criar estímulos, como criatividade e descontração.

interiores-monocromaticos-casa.com-2(Marcelo DonadussiArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-4(Leonit IbrahimiArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-3(Ketsiree WongwanArchDaily)
interiores-monocromaticos-casa.com-1(Marcelo DonadussiArchDaily)

Carrinho

loader