Espaços Integrados: Como Reinventar os Principais Ambientes de Sua Casa

Solução que surgiu a partir da dificuldade de pensar um projeto de decoração para ambientes amplos, os espaços integrados são hoje uma preferência entre os entusiastas do design de interiores.

Mas o tamanho do cômodo não impede que nele sejam planejados diferentes ambientes, para diferentes funções: grande parte das kitnets, por exemplo, têm sala, cozinha e lavanderia integradas.

A seguir, veja como você pode aplicar os conceitos da integração de ambientes sem passar por grandes mudanças estruturais.

Sobre a posição dos móveis

Você pode conectar os ambientes, e ao mesmo tempo os setorizar, usando seus próprios móveis como divisões. Essa divisão, no entanto, deve ser sutil, de modo que um espaço não seja isolado, mas se mantenha em harmonia com todo o cômodo.

Na imagem abaixo, note que as costas do sofá branco é o que delimita a área de estar, separando-a da área de refeições. Perceba, porém, que as cores dialogam e que o estilo permanece o mesmo.

As costas do sofá branco delimita a área da sala de estar nos espaços integrados

1. As costas do sofá branco delimita a área da sala de estar nos espaços integrados. Fonte: Unsplash

É importante lembrar que, para que o posicionamento dos móveis realmente funcione como separador de ambientes, o espaço precisa ter maior amplitude, para que a mobilidade não seja afetada.

Pensar em mobilidade é essencial, uma vez que o maior benefício dos espaços integrados é o melhor fluxo entre ambientes.

São inúmeras possibilidades, por exemplo: além do sofá, você pode usar um aparador vazado, que funcione para a sala de estar e para a área de jantar. Já um móvel vertical, também vazado, pode separar um dormitório do espaço de leitura, caso o quarto tenha um bom tamanho.

Sobre os acabamentos de parede e piso

É muito comum que os espaços de um imóvel possuam acabamentos ou materiais diferentes. Você deve considerar, neste caso, se os acabamentos colaboram ou não para a integração dos ambientes.

No caso de um espaço amplo, como sala e cozinha integradas, o piso funciona como elemento base, conectando os dois ambientes. Na imagem abaixo, nota-se que esses ambientes estão, ao mesmo tempo, conectados pelo piso e delimitados pelos móveis.

Em espaços integrados o piso funciona como elemento base e os móveis delimitam as áreas do cômodo

2. Em espaços integrados o piso funciona como elemento base e os móveis delimitam as áreas do cômodo. Fonte: Unsplash

Os acabamentos, no entanto, também podem auxiliar na delimitação de certos ambientes: como a parede de azulejos da área de lavanderia ou o tradicional revestimento acima da torneira da cozinha.

Por fim, vale muito a pena usar o mesmo piso para todos os cômodos da casa, caso essa seja uma opção. Por trazer uma sensação de harmonia entre todos os ambientes, a solução evita que você recorra a grandes mudanças estruturais, como a remoção de paredes.

Sobre o recurso da paleta de cores

Explicada como um conjunto de cores selecionadas previamente, a paleta de cores deve ser utilizada de maneira harmônica a fim de passar uma ideia, uma identidade visual. O recurso pode ser aplicado em diversas áreas e/ou situações, da maquiagem à arquitetura.

No design de interiores, pode ser um elemento unificador de espaços, através de uma decoração monocromática, por exemplo, capaz de ampliar os ambientes, uma vez que não há tantas barreiras visuais.

Em espaços integrados a paleta de cores deve ser utilizada de maneira harmônica

3. Em espaços integrados a paleta de cores deve ser utilizada de maneira harmônica. Fonte: Unsplash

Um elemento neutro, como a madeira, aliado aos tons mais presentes, como o preto, pode ser uma ótima opção para que o ambiente não fique sem graça. A combinação também garante que o espaço, apesar de setorizado, continue harmônico.

Para tanto, você não precisa investir em novos móveis. Objetos decorativos, como vasos, almofadas e quadros, podem ser usados para combinar os diferentes ambientes, desde que eles respeitem a paleta pré-estabelecida.

Logo, a partir do recurso da paleta de cores, ou seja, ao usar cores e tons complementares por toda a casa, você evita um ambiente apático e garante a integração dos espaços.

Quais ambientes devem ser integrados?

O espaço que compreende as salas de jantar e estar e a cozinha é provavelmente o mais utilizado entre os espaços integrados do design de interiores. 

Mas, para além dessa clássica combinação, podem ser integrados os ambientes da sala e do escritório, da sala e da varanda, o quarto com o escritório, entre outros.

Outro famoso espaço integrado é o loft, apartamentos com aspecto industrial, que necessitam de integração de ambientes pela ausência de paredes ou repartições, como vemos na imagem.

No loft os espaços integrados geralmente possui pé direito alto e muita circulação de ar

4. No loft os espaços integrados geralmente possui pé direito alto e muita circulação de ar. Fonte: Unsplash

No loft, até o dormitório costuma ser dividido com as áreas da cozinha, de estar, de refeição e de TV. Tudo isso só é possível, no entanto, porque este tipo de apartamento geralmente possui pé direito alto e muita circulação de ar.

No fim, a única regra é que qualquer espaço reflita suas necessidades diárias. Não se trata apenas de decoração, mas de adequação e otimização de ambientes.

Você pode conferir mais conteúdos como este, além de uma variedade de imóveis para compra e locação, acessando o Portal Ei Imóvel.

The post Espaços Integrados: Como Reinventar os Principais Ambientes de Sua Casa appeared first on Viva Decora.

Carrinho

loader