Artista leva flores para os lugares mais remotos, até no espaço!

<span class=”hidden”>–</span>Reprodução/Designboom

O artista Azuma Makoto e sua equipe – do estúdio AMKK, em Tokyo – introduziram flores à paisagens congelantes, profundezas do mar e ao espaço sideral. Fotografadas, em sua maioria, em estados e cenários extremos, as obras de arte botânica do artista se destacam em qualquer local em que estejam instaladas, seja arquitetônico ou ambiental. 

<span class=”hidden”>–</span>Reprodução/Designboom

Ao explicar o objetivo dos projetos, Makoto diz que quando colocadas em territórios desconhecidos, o verde encoraja os espectadores a apreciar e considerar a vida do mundo natural. “Eu procuro constantemente encontrar que tipo de “fricção” será criada instalando flores em ambientes onde geralmente elas não existem e descobrindo um novo aspecto de sua beleza”, afirma o artista em entrevista para Designboom.

<span class=”hidden”>–</span>Reprodução/Designboom

Ele também explicou os desafios ao ‘atirar flores na estratosfera’ e ‘afundá-las nas profundezas do mar’. Segundo Azuma, todas as suas obras possuem um desafio mental e físico. A Floresta Amazônica; o campo de neve em Hokkaido em -15 graus e Xishuangbanna – localizado no topo de um penhasco íngreme na China – são alguns dos cenários enfrentados por ele. Mas sua preocupação está em colher as plantas e agrupá-las para reorganizá-las sozinhas e criar uma nova beleza.

<span class=”hidden”>–</span>Reprodução/Designboom

Além disso, Azuma contou o surgimento do seu fascínio pelas plantas: “As flores começam a vida de um botão, desabrocham e eventualmente apodrecem. Nos mostram expressões diferentes a cada momento, o que fascina. Olhando para cada flor, assim como os seres humanos têm diferenças individuais, nenhuma é perfeitamente idêntica. Esses momentos de constante mutação nunca me aborreceram e sempre despertou meu espírito de indagação por algo desconhecido.”

<span class=”hidden”>–</span>Reprodução/Designboom

Em seu projeto mais recente, Makoto busca o ‘micromundo’ das flores, sua estrutura e mundo interno através de raios-X e tomografias computadorizadas. “Eu gostaria de explorar, ainda mais, novos aspectos das flores e expressar sua beleza revelando seu charme”, ressaltou.

*Via Designboom

Carrinho

loader