Arquitetura vitoriana: revivalismo de estilos consagrados

A arquitetura vitoriana nunca foi muito consistente, tendo se constituído a partir do revivalismo de uma série de estilos arquitetônicos ao longo do século XIX. Apesar disso, teve grande influência no estilo inglês e algumas de suas características podem ser vistas até hoje.

Antes de mais nada, convém lembrar que a era vitoriana se refere ao período em que durou o reinado da rainha Vitória do Reino Unido, entre os anos de 1837 e 1901. 

É interessante ainda observar como os ingleses têm o hábito de nomear os estilos arquitetônicos a partir do nome do monarca que está no poder. Temos como exemplo disso a arquitetura georgiana, a arquitetura eduardiana etc.

Neste artigo, vamos falar mais sobre a arquitetura vitoriana, apresentando o seu contexto histórico, os princípios que ela segue, as edificações famosas pelo mundo e a sua aplicação nos dias atuais. Acompanhe a seguir!

Contexto histórico da arquitetura vitoriana

A arquitetura vitoriana se refere ao estilo adotado durante o reinado da rainha Vitória (Foto: Alexander Bassano)

Como explicamos, a arquitetura vitoriana se desenvolveu durante o reinado da rainha Vitória. Nesse período, houve uma grande mistura de estilos, oriundos de outras épocas, culturas e países. 

Historicamente falando, a arquitetura vitoriana aconteceu em paralelo à Revolução Industrial. Por isso, as construções foram bem impactadas, sendo apoiadas por equipamentos e suprimentos feitos em larga escala. 

Foi nessa época que, na Inglaterra, as máquinas começaram a ser utilizadas na construção civil. Até então, quase tudo era feito de forma manual pelos construtores.

Diversas cidades inglesas se desenvolveram nesse período, tendo até hoje traços da arquitetura vitoriana em suas edificações. É o caso do bairro de Notting Hill, em Londres.

Princípios desse estilo de arquitetura

O Palácio de Westminster é um dos exemplares mais famosos da arquitetura vitoriana (Foto: Mike Gimelfarb)

A arquitetura vitoriana não tem muitas características próprias, uma vez que quase tudo foi herdado ou recuperado de outros estilos, algumas vezes influenciados por práticas da Ásia e do Oriente Médio.

Os traços mais representativos do estilo vitoriano foram buscados nas arquiteturas gótica e clássica, nas formas que ficaram conhecidas como neogótico e neoclássico.

A arquitetura do Palácio de Westminster, por exemplo, foi planejada pelo arquiteto Charles Barry e traz diversos elementos góticos em sua construção. 

Em geral, a arquitetura vitoriana traz combinações de torres, varandas, frisos, janelas e telhados em suas composições. 

Já no que diz respeito à decoração de interiores, utiliza muitos móveis pesados e ornamentados, quase sempre feitos em madeira escura.

Ainda no mobiliário, era bastante comum a presença do dourado nos detalhes. Nas casas dos membros da nobreza do Reino Unido, muitos dos móveis recebiam desenhos feitos em ouro nesse período, por exemplo.

Papéis de parede estampados com cores marcantes, como o azul e o marrom, também eram bem comuns.

Obras da arquitetura vitoriana pelo mundo

Agora, vamos apresentar algumas obras famosas da arquitetura vitoriana, para que você veja como o estilo se apresenta nas edificações.

Castelo de Balmoral

A rainha Elizabeth II é a atual proprietária do Castelo de Balmoral, na Escócia (Foto: Stuart Yeates)

Localizado na cidade de Crathie, na Escócia, o Castelo de Balmoral é uma das residências da família real britânica desde 1852, quando a construção original foi comprada pelo príncipe Alberto de Saxe-Coburgo-Gota, que era marido da rainha Vitória. 

Atualmente, o Castelo de Balmoral é muito usado pela rainha Elizabeth II e pelo Duque de Edimburgo, que o visitam, principalmente, durante as férias de verão. 

O castelo segue o estilo baronial escocês, uma das tendências que foram adotadas pela arquitetura vitoriana. Ele possui muitas torres e grandes áreas ao ar livre, por se tratar de uma edificação rural.

Curiosidade: a rainha Elizabeth II estava no Castelo de Balmoral quando, em 1997, recebeu a notícia da morte de sua ex-nora, a princesa Diana. 

Ponte do Brooklyn

A famosa Ponte do Brooklyn é um exemplar da arquitetura vitoriana em território norte-americano (Foto: Tiago Fioreze)

A Ponte do Brooklyn é um exemplo da arquitetura vitoriana nos Estados Unidos. Localizada na cidade de Nova York e situada sobre o Rio East, a edificação faz a ligação entre Manhattan e o Brooklyn.

O projeto foi concluído em 1883 e é inspirado no estilo vitoriano, tendo imensas torres, que já foram consideradas as estruturas mais altas da cidade. 

Curiosidade: a Ponte do Brooklyn foi a primeira de suspensão do mundo e a primeira a usar cabos de aço.

Hotel Windsor

Na Austrália, o estilo vitoriano pode ser visto no Hotel Windsor (Foto: Mat Connolley)

O Hotel Windsor é um estabelecimento para hospedagem de luxo que fica no estado de Victoria, na Austrália. Trata-se de um marco da arquitetura vitoriana no país e funciona desde 1884.

As torres e os detalhes que lembram o gótico são algumas das características do hotel, assim como o período em que ele foi construído, que fazem com que ele pertença ao estilo vitoriano.

Curiosidade: a atriz Meryl Streep é fã do hotel e já ficou hospedada nele algumas vezes, em viagens que fez para a Austrália.

Casa vitoriana da Rua Nagib Izar

Uma casa vitoriana chama a atenção de quem passa pela Rua Nagib Izar, em São Paulo (Foto: São Paulo Antiga)

São poucos os exemplares famosos da arquitetura vitoriana no Brasil. Porém, é possível visualizá-lo em casas situadas em diversos locais do país.

Em São Paulo, chama a atenção uma residência localizada na Rua Nagib Izar, no bairro Jardim Anália Franco.

A casa vitoriana é bem parecida com as que vemos em filmes norte-americanos e ingleses, principalmente de terror, que costumam ter esse tipo de residência como cenário. 

Curiosidade: essa casa é considerada um falso histórico, que é quando uma obra tem características de um período antigo, porém é um edifício novo que reproduz estilos do passado. 

A aplicação do estilo vitoriano nos dias de hoje

A arquitetura vitoriana é comum, atualmente, em projetos de decoração de interiores (Foto: Pixabay)

Atualmente, o estilo vitoriano é trabalhado apenas em casos específicos, como na criação de falsos históricos, como o exemplo da casa da Rua Nagib Izar. Além disso, esse tipo de arquitetura é popular no design de interiores.

A restauração de móveis antigos é uma prática que ganha cada vez mais adeptos. Nesse sentido, podem ser recuperados objetos da Era Vitoriana para criar ambientes dos mais interessantes.

Para decorar as casas no estilo vitoriano, além de restaurar móveis antigos, é possível utilizar lustres opulentos. As paredes também podem ser revestidas com papéis de parede com cores escuras, como o azul-marinho, o verde-bandeira e o marrom.

As decorações no estilo vitoriano combinam muito com casas de campo, por exemplo, uma vez que trazem um aconchego que é bem característico da zona rural.

A principal lição que a arquitetura vitoriana traz é o fato de trabalhar com o revivalismo. Muitas vezes, os arquitetos podem conseguir bons resultados buscando inspiração em estilos antigos.

Siga conhecendo coisas novas! Leia agora o nosso artigo sobre as townhouses, uma característica arquitetônica presente em diversas cidades da Europa.

Foto de destaque: A arquitetura vitoriana revive diversos estilos arquitetônicos (Foto: Jongleur100)

O post Arquitetura vitoriana: revivalismo de estilos consagrados apareceu primeiro em Archtrends Portobello Blog.

Carrinho

loader