Arquitetura romântica: emoção, tradição e bucolismo

A arquitetura romântica foi um movimento que ocorreu entre os séculos XVIII e XIX. As edificações dessa época evocavam estilos anteriores, ao passo que acrescentavam detalhes culturais do momento.

Até hoje o movimento influencia arquitetos de todo o mundo, que se inspiram nas características da época do romantismo para os seus projetos.

Na sequência, falaremos mais sobre a história da arquitetura romântica, os seus princípios, os exemplares famosos e muito mais. Siga a leitura para conferir!

O romantismo como movimento

Arquitetura romântica
O romantismo é um movimento que atingiu todas as artes, como a pintura e a literatura (Pintura: Eugène Delacroix)

Não podemos falar da arquitetura romântica sem citar o período histórico em que ela ocorreu.

Estamos nos referindo ao romantismo, um movimento artístico, político, cultural e filosófico que surgiu na Europa no final do século XVIII e durou até quase o final do século XIX.

O romantismo tinha uma visão de mundo contrária ao iluminismo e ao racionalismo. O movimento ganhou força por ter um viés muito mais nacionalista, que viria a se consolidar entre os estados da Europa.

De acordo com o historiador Jacques Barzun, o romantismo teve três grandes momentos:

  • 1ª geração: tinha características mais centradas no subjetivismo, no lirismo, no exótico, no sonho e no exagero;
  • 2ª geração: os movimentos culturais passaram a ser focados no pessimismo, em um gosto pela morte, pela religiosidade e pelo naturalismo;
  • 3ª geração: fez a transição para o movimento realista, denunciando os males e os vícios da sociedade.

O romantismo foi um movimento que influenciou todas as artes.

Na pintura, um dos principais destaques foi o francês Eugène Delacroix, famoso pela tela A liberdade guiando o povo, que reúne diversos ideais românticos em seus traços.

Já na literatura, um dos grandes destaques foi Goethe, autor de livros clássicos do romantismo, como Os sofrimentos do jovem WertherOs anos de aprendizado de Wilhelm Meister, entre outros.

A música também foi influenciada pelo romantismo. Compositores como Beethoven, Chopin e Tchaikovsky tinham ideais românticos e romperam com o rigor formal do classicismo em suas composições.

O contexto histórico e os princípios da arquitetura romântica

Arquitetura romântica
A Catedral de Notre-Dame foi restaurada com traços românticos (Foto: Gilbert Bochenek)

Em meio ao cenário cultural do romantismo, também se desenvolveu a arquitetura romântica.

Os projetos arquitetônicos que fazem parte desse movimento tinham o objetivo de evocar reações emocionais, por respeito, tradição ou nostalgia de um passado bucólico.

As maiores inspirações dos arquitetos românticos eram os estilos da Idade Média, como a arquitetura gótica. Inclusive, o neogótico é uma das variantes populares que surgiu nessa época.

A literatura também inspirava muito os arquitetos românticos. Obras como O corcunda de Notre-Dame, de Victor Hugo, fizeram com que o interesse em adotar alguns traços da Idade Média aumentasse.

Prosper Mérimée, autor de contos românticos, foi o primeiro chefe de comissão de Monumentos Históricos na França. Ele foi o responsável por divulgar e restaurar obras que foram profanadas e arruinadas após a Revolução Francesa.

Exemplo disso é a restauração da Catedral de Notre-Dame de Paris, projeto liderado pelo arquiteto Eugène Viollet-le-Duc.

No que se refere aos materiais utilizados, a arquitetura romântica fazia mesclas de elementos antigos e modernos. Era comum o uso de concreto e ferro nessas edificações.

Além disso, é interessante ressaltar que no romantismo as construções não tinham um propósito muito decorativo. O objetivo maior era a funcionalidade; ou seja, as edificações tinham que ser úteis.

Os exemplares famosos da arquitetura romântica pelo mundo

Sem dúvida, a arquitetura romântica foi um movimento de grande valor cultural para as artes. Provas disso são os diversos projetos espalhados por todo o mundo. 

Isso mostra como o romantismo não ficou limitado à Europa. Veja, a seguir, alguns exemplares da arquitetura romântica.

Strawberry Hill House

Arquitetura romântica
A vila Strawberry Hill House representa a arquitetura romântica na região de Londres (Foto: Chiswick Chap)

A Strawberry Hill House é uma vila neogótica construída em Twickenham, Londres. Liderado por Horace Walpole, esse projeto foi desenvolvido entre os anos de 1749 e 1776. 

A vila tem características góticas, como as torres externas e a decoração elaborada para criar uma escuridão, se adequando a objetos de antiquário, que são amplamente utilizados.

Palácio de Christiansborg

Arquitetura romântica
A sede do Parlamento Dinamarquês encanta pelo estilo romântico (Foto: Julian Herzog)

Na Dinamarca, o Palácio de Christiansborg é um exemplar da arquitetura romântica. O projeto é uma restauração de um antigo castelo do rei Cristiano VI, que foi destruído em um incêndio.

Com um estilo neobarroco e fortemente ligado à aristocracia europeia, atualmente o Palácio de Christiansborg é a sede do Parlamento Dinamarquês, do escritório do Primeiro-ministro e da Suprema Corte da Dinamarca.

Pavilhão Real de Brighton

Arquitetura romântica
O Pavilhão Real de Brighton segue o estilo neomourisco (Foto: Qmin)

O estilo neomourisco, outra ramificação da arquitetura romântica, surgiu no século XIX. Projetado por John Nash, o Pavilhão Real de Brighton é um dos exemplares mais famosos desse período na Inglaterra. Ele tem cúpulas em forma de cebola e minaretes.

Palácio da Pena

Arquitetura romântica
A diversidade de estilos é uma marca do Palácio da Pena, em Portugal (Foto: Singa Hitam)

Um dos últimos países europeus a receber projetos de arquitetura romântica foi Portugal. Os primeiros exemplares começaram a ser vistos por volta de 1830. De acordo com historiadores, a Guerra Peninsular e a fuga da Família Real para o Brasil são alguns dos motivos que explicam essa demora.

Entre as principais edificações portuguesas que seguem o estilo romântico está o Palácio da Pena, projetado pelo Barão de Eschwege. Localizada em Lisboa, a construção foi eleita, em 2007, como uma das Sete Maravilhas de Portugal.

Considerado um Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), o Palácio da Pena se divide em quatro áreas principais e é bastante exótico. Ele mistura estilos como o neogótico, o neomanuelino, o neoislâmico e o neorrenascentista.

Catedral Diocesana de Santa Teresa

Arquitetura romântica
A Catedral de Santa Teresa, em Caxias do Sul, tem traços do romantismo, trazido pelos imigrantes (Foto: Ricardo André Frantz)

No Brasil, a arquitetura romântica começou a ganhar força quando os imigrantes europeus chegaram às nossas terras.

Na Serra Gaúcha, por exemplo, os italianos foram responsáveis por projetos do tipo, como a Catedral Diocesana de Santa Teresa, um dos principais pontos turísticos da cidade de Caxias do Sul.

A Catedral de Santa Teresa tem um visual majestoso, com formas amplas e estilo neogótico coerente. Na parte interna, ela guarda relíquias artísticas dos primórdios do município.

As influências da arquitetura romântica em projetos contemporâneos

Arquitetura romântica
As fachadas funcionais são uma aplicação da arquitetura romântica em projetos contemporâneos (Projeto: Nathália Montans)

Em projetos contemporâneos, a arquitetura romântica marca presença, principalmente, quando se busca a simplicidade e a funcionalidade.

Afinal, como vimos, o objetivo desse movimento era que as edificações fossem funcionais.

O uso do porcelanato em fachadas, por exemplo, dá glamour aos projetos e faz com que eles tenham características funcionais.

Arquitetura romântica
Assim como na arquitetura romântica, as lastras de superfícies contínuas são funcionais (Projeto: Portobello S.A.)

Já em ambientes internos, as soluções estéticas e funcionais, características da arquitetura romântica, podem ser vistas nos múltiplos usos das lastras, superfícies contínuas de porcelanatos em dimensões gigantes. As possibilidades são ilimitadas!

Assim como outras correntes, a arquitetura romântica marcou a história e até hoje influencia os profissionais. Ao se aprofundar nos conceitos que ela traz, você poderá aplicá-los com criatividade em seus projetos.

Se você gosta de conhecer diferentes estilos e vertentes, o convidamos agora para ler o nosso artigo que fala sobre a arquitetura africana. Ele traz muitas informações interessantes e inspiradoras!

O post Arquitetura romântica: emoção, tradição e bucolismo apareceu primeiro em Archtrends Portobello Blog.

Carrinho

loader